22 outubro 2012

Se Deus existe,por que sofremos?

Tumblr_lgaydwq38i1qer4kvo1_500_large
 
    Tente se lembrar do dia mais feliz da sua vida.Ficou em dúvida?Agora,tente se lembrar do seu dia mais triste.Foi mais fácil?Faz parte do ser humano guardar por mais tempo os momentos ruins do que os bons.A razão? O sofrimento é como um vírus que impede que você funcione bem.
    Apesar de a discussão sobre dor e alegria não fazer parte do nosso cotidiano e nem figurar os Trend Topics,a pergunta que justifica esse texto sempre bate á porta quando vemos pessoas boas sofrer,principalmente se formos nós mesmos.
    O fato é que temos repulsa da injustiça.Quando somos afetados pelo mal,automaticamente isso nos leva a pensar que algo está errado.Por exemplo, o que faz você achar atitudes como estupro e assassinato intoleráveis ? Seriam esses crimes somente reflexos culturais que variam de uma nação para outra,como penteados de cabelos? É lógico que não.
    O problema do mal,em vez de negar a Deus,sugere Sua existência.Quem defende esse argumento é o filosofo cristão Ravi Zacharias.É improvável negar a realidade do mal.E para haver o mal,o bem também precisa existir,caso contrário não o reconheceríamos.Portanto,deve existir uma lei moral que faça diferença entre esses dois.Uma lei com valores universais,que transcedam tempo e cultura.
    E se existisse uma lei moral,também é necessário que exista um legislador tão moral quanto esses valores.Agora volta a fita: Se Deus não existe,não há lei moral.Se não existe lei moral,não há bem.E se não exististe bem,o mal é uma ilusão.O que é descaradamente impossível!
    Por isso sofrimento e dor são sintomas de algo que está errado com a realidade que nos cerca.Num episodio de Dr.House é contada a história de uma garota insensível á dor.A sigla dessa doença em inglês é CIPA.Se você pesquisar sobre vídeos de crianças com essa anormalidade,verá quão é miserável é a vida delas.Assim olhando por esse lado, o sofrimento se torna um inesperado alerta de que algo está errado em nosso mundo.
    Foi G. K. Chesterton quem disse que para o cristão,a alegria é central e o sofrimento é periférico,enquanto que para o cético é ao contrário.Para aqueles que confiam em Cristo,as questões fundamentais de vida estão respondidas,as outras são secundárias.Já para aqueles que viraram as costas para Deus,as incertezas sempre acompanharão suas pegadas.

Texto de: Luiz Gustavo Assis
Retirado da revista CONEXÃO 2.0 - Ano 6 nº 24

3 comentários:

エドゥアルダマルティンス disse...

Muito bom, adorei a reflexão, adorei o blog, adorei tudo! Beijos Gatinha!
Os Caminhos Ocultados|Blogspot

Karen Almiron disse...

Oi ,
eu adorei ,

karenselajaalmiron.blogspot.com

Carol disse...

muitoo boom seu blog ! quer ser minha afiliadaa ??
http://blogdaacaroll.blogspot.com.br/